Autor(es): Ernandes Rodrigues do Nascimento e Fábio Leandro Melo Ramo dos Anjos

Resumo: Nos últimos anos, buscando desenvolver uma educação que atenda a demanda atual do mercado profissional, muito tem se falado sobre metodologias ativas (Bacich & Moram, 2018), ensino híbrido (Christensen, Horn & Staker, 2013), inovação no ambiente educacional (Moram, 2000), entre outros temas que nos remetem ao processo de ensino e aprendizagem. Mas, na literatura, pouco se encontra sobre a percepção dos estudantes do ensino superior em relação ao uso das metodologias ativas no processo de ensinagem. O estudante do ensino superior particular no Brasil, em sua maioria, trabalha em parte do dia, cuida da família em outro momento e estuda em determinado turno (FALCÃO, 2016), possuindo dezenas de ocupações e escassez de tempo. Para ele, deve-se maximizar sua aprendizagem no menor tempo possível, mesclando atividades presenciais e virtuais, mas evitando deixar excesso de atribuições acadêmicas fora do ambiente escolar, pois o mesmo não dará a devida atenção. O presente trabalho buscou conhecer a percepção dos estudantes de graduação da rede particular de ensino sobre o uso de narrativas digitais (Alves, Carvalho & Freire, 2016; Carvalho, 2017) para uma aprendizagem significativa. A partir de uma abordagem qualitativa, a pesquisa foi desenvolvida por meio de entrevistas individuais, grupo focal, diário de campo e observação, durante a realização de um curso de extensão universitária, o qual contou com a participação de 25 estudantes. Os resultados possibilitaram conhecer a percepção dos estudantes em relação ao uso das narrativas digitais como metodologias ativas no processo de ensino e aprendizagem. Para eles, utilizar as narrativas digitais, a sala de aula invertida, a aprendizagem baseada em projetos e recursos audiovisuais participativos, foi interessante e motivador. Quase todos os estudantes estavam extasiados, felizes com o que e como aprenderam. Reforçaram que o trabalho em equipe, a possibilidade de estudarem o que realmente lhes interessavam e no ritmo de cada um foram os grandes diferenciais do método. Entretanto, alguns estudantes apresentaram preocupações que podem dificultar a utilização das narrativas digitais como metodologias inovadoras no processo de ensinagem, tais como: a prática minimizar a importância da teoria; os estudantes encararem as aulas como lazer ou ambiente de estudo com menos rigor, conduzindo-os a uma aprendizagem deficitária; os professores não estarem preparados para testar métodos diferentes sem prejuízo no processo de aprendizagem; os alunos não estarem dispostos a abandonar o modelo tradicional, etc.

Artigo Completo – https://seer.faccat.br/index.php/redin/article/view/1153/738

Citação: NASCIMENTO, E.R; ANJOS, F. L. M. R. . A Percepção do Estudante do Ensino Superior em Relação ao Uso das Narrativas Digitais para uma Aprendizagem Significativa. In: 23º Seminário Internacional de Educação, Tecnologia e Sociedade, 2018, Online. Revista Educacional Interdisciplinar – v. 7, n. 2 (2018). Taquara: FACCAT, 2018. v. 7.